Banco de Sangue

saudeNos idos de 1945 um jovem médico, o ortopedista e hemoterapeuta Fábio dos Santos Musa, percebeu a necessidade de se criar um Banco de Sangue para melhor atender os pacientes da cidade de Ribeirão Preto e região.

Nesta época não existiam materiais descartáveis. O material utilizado precisava ser exaustivamente lavado e posteriormente esterilizado para ser utilizado novamente. Os doadores eram escolhidos entre pessoas sadias da família e amigos dos pacientes e os únicos exames realizados eram a tipagem sanguínea ABO e Rh.

Mas aos poucos este quadro foi mudando. Graças à perseverança do Dr. Fábio Musa e de sua equipe, reconhecidos por seu nível de excelência, a sala no ambulatório do Hospital São Francisco foi ficando pequena.

A década de 1980 foi marcante para a instituição, que com a importação de uma centrífuga refrigerada passou a fracionar o sangue, possibilitando a preparação e o uso individual dos componentes do sangue (plasma, hemácias, plaquetas e crioprecipitado). Nesta mesma época foram introduzidas as bolsas plásticas para a doação e os materiais descartáveis.

Crescendo e evoluindo junto com a medicina de Ribeirão Preto e da região, que nesta época via o despontar de procedimentos de alta complexidade, como a cirurgia cardíaca, em 1988 o Banco de Sangue do Hospital São Francisco foi reformado, ampliado e passou a chamar-se Serviço de Hemoterapia São Francisco.

Nos anos 90 com o descobrimento de novas doenças, como o HIV e a Hepatite C o Serviço de Hemoterapia São Francisco foi um dos pioneiros no Brasil na introdução de novos exames sorológicos para os doadores, garantindo a segurança de seus pacientes.

Partindo de uma pequena sala no início e chegando aos dias de hoje, o Serviço de Hemoterapia São Francisco se destacou pelo seu nível de excelência. Isto se reflete no carinho do atendimento aos doadores, na utilização dos melhores materiais e dos mais modernos exames sorológicos.