Hospital Materno-Infantil Sinhá Junqueira Recebe Treinamento do Projeto Parto Adequado

Parto Adequado

O encontro, realizado nos dias 26 e 27 de maio no Rio de Janeiro, foi o primeiro da série de reuniões presenciais para orientar as equipes

11/06/2015

 

           Os hospitais que fazem parte do projeto Parto Adequado participaram nos dias 26 e 27 de maio, do primeiro de uma série de encontros presenciais dedicados a orientar e instruir as equipes que implementarão a iniciativa em cada uma das instituições. A reunião, realizada no Rio de Janeiro, contou com a presença da equipe do Hospital Materno-Infantil Sinhá Junqueira de Ribeirão Preto (SP) composta pelo Dr. Luiz Alberto Ferriani, diretor clínico e responsável pelo Projeto; Paulo Ricardo Góes, gerente administrativo e do projeto; Giselle Cunha, enfermeira obstetra e líder do projeto; e Denilson Cintra Dias, responsável pelo departamento de Controladoria e Finanças. Equipes de outros 25 estabelecimentos privados e públicos que integram o projeto-piloto, sob liderança da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), do Hospital Albert Einstein e do Institute for Healthcare Improvement (IHI) também estiveram presentes.

           O objetivo do encontro foi apoiar os hospitais a desenvolverem estratégias para reorganização do modelo de atenção ao parto. Com isso, a ANS e demais parceiros da iniciativa buscam estimular os partos normais e reduzir cesarianas sem indicação clínica, e melhorar, de maneira geral, a qualidade da assistência à gestante. Por meio de discussões e trabalhos práticos, as equipes foram orientadas e capacitadas para que possam fazer as mudanças nos seus estabelecimentos de saúde. Depois do treinamento, terão três meses para aplicar as orientações.

           “Nesses dois dias, os hospitais tiveram a oportunidade de aprender estratégias para provocar e implementar essas mudanças, o que a gente chama de ciência da melhoria. Eles estão recebendo uma espécie de tutoria para que possam aplicar as inovações”, explica Jacqueline Torres, gerente executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores da ANS. “Vamos entregar aos hospitais um pacote de medidas que eles precisam implementar e testar até setembro de 2016. Não é apenas instruindo, mas colocando a mão na massa, realizando as mudanças e vendo o impacto que elas têm nos indicadores”, destaca o médico Paulo Borem, representante do IHI.

           Ele ressalta que o excesso de cesáreas desnecessárias é um problema complexo, que envolve não apenas a gestante, mas todo o sistema de saúde. Nesse sentido, espera que as ações implementadas se tornem permanentes e ajudem a provocar melhorias nos hospitais. “Por isso usamos a ciência da melhoria, para que essa mudança seja sustentável, permaneça na organização e melhore o hospital inteiro. No aspecto do cuidado, esperamos que crie uma onda de melhoria para o paciente e para o profissional de saúde. Ninguém está satisfeito nesse contexto atual”, afirma.

            “Ficamos muito satisfeitos com o treinamento. O Projeto vai ao encontro do que o Sinhá já vem aplicando há alguns anos no aprimoramento da assistência ao parto. Nos últimos quatro anos, o nosso índice de parto vaginal vem se adequando, com a adoção de medidas como: a execução  do partograma da paciente, plantão 24 horas de obstetrícia, protocolos clínicos, equipe multiprofissional com reconhecimento técnico para a função, sala de parto humanizado,  entre outras”, explica Luiz Alberto Ferriani, diretor clínico do Sinhá Junqueira e coordenador do projeto neste hospital. O próximo encontro presencial dos hospitais que integram o projeto-piloto acontecerá em agosto. Até lá, os participantes serão sempre acompanhados por tutoria (online e por telefone) prestada pela ANS, pelo Hospital Albert Einstein e pelo IHI.

           Além das instituições que fazem parte como piloto, outros 12 hospitais privados participarão do projeto. Eles são o chamado grupo de seguidores e serão acompanhados pela Agência por meio de reuniões periódicas e do monitoramento de dados. Outros quatro hospitais participarão compartilhando experiências que já vêm desenvolvendo nesse sentido.

 

 

Voltar